PACIÊNCIA…

Dizem que a poesia

São as palavras ditas pelo coração.

Hoje sou pura poesia,

Sempre acreditei no amor,

Raras vezes tive paciência,

Muitas vezes disse sim,

Raras vezes disse não.

Sou pura emoção,

Não sei se isso é bom,

Pouco sei da ciência,

Ou do amor a explicação.

Hoje, tenho mais paciência,

Não corro atrás,

Espero vir ao meu encontro.

Não remo contra a maré revolta,

Sigo a correnteza.

Uma correnteza de sentimentos

Fortes, alegres e vibrantes.

Posso acreditar na razão,

E o melhor,

Sem abandonar o coração.

Paciência,

Poesia,

Amor…

Hoje sou poesia,

Sempre fui poesia,

Nunca deixarei de ser poesia…

Acredito no amor,

Como sempre acreditei.

O amor?

Hoje espero,

Com paciência,

Com poesia,

Com tudo de bom que há dentro de mim.

 

GILBERTO CAMPOS…

Anúncios

DESABAFO DA DOR…

Hoje lendo, pesquisando, analisando…
Li algo que me assustou.
Logo eu que sou especialista e trato de dores.
Mas qual a maior das dores?
Esta deve ser a pergunta de todos,
E de repente li a seguinte citação
“…É a dor de não saber onde dói…”.

Quantas vezes senti isso?
Uma dor que machuca, maltrata,
E não se compara a nenhuma dor física,
Ela simplesmente machuca.
Não sabemos de onde vem, onde dói,
Apenas sabemos que ela existe.
Creio eu que todos experimentamos dela.
Sim pelo menos uma vez na vida
Sentimos esta dor.

E o que é a felicidade?
Às vezes penso que a felicidade
Nada mais é do que a busca de tentarmos suprir essa dor.
Entretemos-nos com coisas prazerosas
Para tentar esquecer que a dor existe.

Tentamos fingir que a dor não existe,
Que é somente uma fase ruim,
Mas ela se torna tão presente em certos momentos,
Que a própria felicidade,
Que deveria ser a cura,
Acaba ela sendo, pela sua busca frustrada,
Um novo motivo
Para uma nova dor.

Busco desesperado,
Algo que me dê prazer,
Qualquer coisa que me faça esquecer o vazio,
Que em mim habita, por alguns instantes.
Entre um cigarro e outro, acompanhado de uma dose de bebida,
A dor parece sumir, pelo menos do peito.
Mas no fundo o cérebro sabe que ela está a espreita,
Esperando o momento certo para voltar,
Machucar…
E por este motivo a felicidade deixa de ser um estado de prazer.
Torna-se um modo de fuga.

Da mesma forma que a Luz só engana a escuridão,
Que o calor engana o frio,
A felicidade engana a dor do sofrimento.

Espero que eu esteja errado em todas as minhas palavras.
Mas por enquanto, me viro com meu Whisky, meu cigarro,
E principalmente com as minhas poesias.

 

GILBERTO CAMPOS…

Ah! O Amor…

O amor é um movimento…

O amor move a gente por caminhos desconhecidos…

A gente move o amor,

O amor se mexe, atrai,

Expande todos os nossos sentidos…

O amor mexe com a gente,

A gente mexe com o amor…

Ah! O amor…

O amor não morre,

Nem tem hora, nem tempo pra começar…

Ou mesmo recomeçar…

Ah! O amor…

Como pode ser tão lindo?

Na minha vida escolhi seguir sua trilha,

Sem perguntas, sem razão…

Acabei assim, preso em uma armadilha…

Escravo do seu coração.

O que faço?

Te espero?

Ah! O amor…

 

GILBERTO CAMPOS…

O TEMPO

Não entregue nas mãos do tempo

Pois, o tempo, nos engana.

Afinal o que é o tempo?

Quanto tempo temos?

Quanto tempo precisamos?

Quando o tempo acaba?

Quanto o tempo dura?

O tempo nos leva a questionamentos,

Que para serem respondidos, leva tempo.

Nos faz  pensar, estruturar e realizar

Ou destruir sonhos, após um tempo.

Subjetivo? Abstrato? Isto é o tempo?

Do tempo só temos uma certeza…

Ele passa, desgasta, envelhece.

Pensamos ser o tempo infinito

Mas não é.

Pensamos o tempo curar tudo,

Mas não cura, apenas nos faz conformar.

Muitas vezes não temos tempo,

Somos escravos do tempo

Esquecendo que precisamos de algo essencial em nós…

O nosso tempo!

O tempo de conversar,

O tempo de sair, se divertir…

O tempo de dividir o tempo

Com quem AMAMOS

O tempo de parar,

O tempo de contemplar,

O tempo de sorrir,

O tempo de agradecer,

O tempo de amor cultivar,

O tempo de juntos sonhar.

O tempo do tempo que está por vir…

O tempo de parar, agradecer e amar…

Se for para entregar,

Que entregue a DEUS.

Ajude-se para ser acolhida,

Pense em tudo que é seu,

Pense que a vida é para ser vivida.

 

GILBERTO CAMPOS…

SONHOS NOTURNOS (SONHANDO COM VOCÊ…)

Como é bom

Sentir seu beijo,

O doce dom

De acender meus desejos.

Desejos, delírios, paixões.

Abraço apertado,

Corpo colado,

Despertar de emoções.

Desejos proibidos,

De sonhos molhados,

Regados a gemidos…

E corpos entrelaçados.

Corpos que deslizam

Soltos no ar,

Gemidos doces que ecoam…

No lindo ato de amar.

São côncavos nos convexos…

É boca com boca.

São palavras sem nexo,

Nesta paixão muito louca.

É você a me embriagar…

Seu corpo a me enternecer…

São sonhos noturnos de amor…

Que com o Sol da manhã vão morrer.

GILBERTO CAMPOS…

APENAS EU…

 

Gosto dos venenos mais lentos,

Das bebidas mais amargas,

Das drogas mais poderosas,

Das idéias mais insanas,

Dos pensamentos mais complexos,

Dos sentimentos mais fortes…

Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.

Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:

“- E daí? Eu adoro voar”!

Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre.

Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração.

Não me façam ser quem não sou.

Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente.

Não sei amar pela metade.

Não sei viver de mentira.

Não sei voar de pés no chão.

Sou sempre eu mesmo, mas com certeza não serei o mesmo pra sempre…

Sou fragmentos de lua mansa,

Um pedaço do sol.

Uma Hanna perdida no coração de lembranças,

Sou um ser de fé, que busca a verdade dentro de mim..

Sou alegria quando meus filhos sorriem..

Sou lágrimas quando tenho o coração  partido.

Sou parte de cada um que caminhou ou caminha comigo.

Sou apenas EU……

 

GILBERTO CAMPOS…